Potosi!

Devido a extração de prata Potosi já foi uma das cidades mais ricas do mundo, mas a cidade é mais do que a sombra de um passado de glória. Observar a superfície lapidada do Cerro Rico e lembrar de todas as pessoas que morreram em busca de riqueza é ver a história da ambição humana escrita sobre a rocha.

Mineiros ainda trabalham no Cerro Rico, e se você for um turista corajoso pode fazer um tour lá dentro. Eu fui, mas adianto que não é nada fácil.

 

DSCN1654

Cerro Rico ao fundo

O “passeio” começa com o guia dando explicações sobre como é feita a separação da prata, depois te levam até uma casinha pra colocar o uniforme. O guia leva o grupo para uma venda e diz que todos deveriam comprar alguma bebida ou folhas de coca para dar aos mineiros, porque eles sentem muita sede lá. Ele também faz todos beberem um gole de álcool quase puro para que o El Tio nos protegesse lá dentro.

 

DSCN1661

Companheiros

Quando enfim entramos na mina, o sofrimento começa. Já somos avisados que se ouvirmos o barulho dos carrinhos vindo temos que sair da frente rápido.

 

DSCN1667

Mineiro

Lá dentro as vezes faz frio e as vezes fica muito, muito quente e difícil de respirar. E é claramente perigoso, o guia te leva nos mesmos lugares que os mineiros estão trabalhando mesmo ele nos assegurando que conhecia bem os lugares já que trabalhou ali também, existem riscos, assim como para os mineiros, por isso tome cuidado!

Tem momentos que parece que o teto vai cair na sua cabeça e outros que você tem que ir se arrastando pelos buracos ou escalando.  Ficamos quase duas horas dentro da mina, muito cansativo mas é legal.

 

DSCN1692

Me arrastando

DSCN1709

El Tio

Depois dessa aventura na mina nós resolvemos relaxar um pouco, fomos até uma laguna com água quente que se chama Ojo del Inca. Para chegar lá pegamos um ônibus no mercado campesino, mas devido a uma greve dos mineiros (que estavam bloqueando a estrada), tivemos que descer na metade do caminho, andar até o outro lado e de lá pegaar uma van até a “entrada”, onde fizemos uma caminhada morro acima de uns 20 minutos. A paisagem é muito bonita e não tinha nenhum outro turista. Pagamos uma taxa para um senhor e entramos na água que estava muito agradável. Eu só fiquei na borda com o Luigi, porque a laguna ia ficando mais funda no meio. Depois lemos que turistas desapareceram e nunca mais foram encontrados o.o medo. Mas enquanto estávamos lá nada estranho aconteceu. Ainda bem!

A única parte ruim é sair no frio da Laguna haha!!

DSCN1778 DSCN1802

 

Olá, criei o blog para compartilhar experiências de viagem, atualmente estou viajando pelo sudeste da ásia e tento postar tudo aqui no blog pra vocês. Espero que meus relatos e dicas te ajudem e inspirem a viajar também!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *